.

Image
Caminhos do Planalto Central

Tipo: Trilha Regional
Inicio: Brazlândia- GO
Final: Formosa- GO
Ponto culminante: Pico do Roncador (1.340 m)
Modal: Caminhada, Bike e Equestre
Bioma: Cerrado
TLC que faz parte: Caminhos dos Goyazes
Estruturação da trilha: dividido em 4 setores

Atrativo Observação de Aves
Atrativo Mirante
Atrativo Pico
Atrativo Observação de Fauna
observação de aves
mirante
pico
observação de fauna
Atrativo Cachoeira
Atrativo Banho
Atrativo Gruta
Atrativo Museu
Cachoeira
Banho
Gruta
Museu
Ficha Técnica
Distância: 400 km
Duração: 28 dias
Percentual implementado
20%

Descrição

Os Caminhos do Planalto Central, participam da Rede Brasileira de Trilhas e integram o Caminho dos Goyazes (percurso da Cidade de Goiás à Chapada dos Veadeiros). Compreendem um conjunto aproximado de 400 km de trilhas para caminhantes, ciclistas e cavaleiros, com três arcos que partem de dois pontos de relevante interesse ambiental e histórico, a Floresta Nacional de Brasília e a Pedra Fundamental no Morro do Centenário. A conexão ao Caminho dos Goyazes acontece, a leste na Lagoa Feia em Formosa-GO e a oeste na Barragem do Descoberto em Águas Lindas-GO.

O relevo do Planalto Central é predominantemente plano com ondulações suaves e o Cerrado é a sua vegetação característica, com a presença de várias das suas diferentes fitofisionomias. O clima se caracteriza por uma estação chuvosa e outra seca. Em termos hidrográficos o Distrito Federal possui nascentes de três Bacias brasileiras, o que favorece em muito em biodiversidade: Bacia do Tocantins/Araguaia (Rio Maranhão, tributário do Rio Tocantins), Bacia do Rio São Francisco (Rio Preto, tributário do Rio Paracatu) e Bacia do Rio do Prata (rios São Bartolomeu e Descoberto, tributários do Rio Paraná).

Informações Gerais

O DF está entre as unidades da federação com mais ampla rede de proteção ambiental, conforme pode se verificar na mais de uma centena de Unidades de Conservação - UCs e Parques de Uso Múltiplo, entre federais e distritais. Dessas, 94 são administradas pelo Instituto Brasília Ambiental (IBRAM-DF), ricos em fauna e flora nativa do Cerrado, locais que favorecem a trilhas para caminhadas ecológica, prática de esporte, educação ambiental, pesquisa, eventos culturais e sociais. Esse complexo de UCs e Parques de Uso Múltiplo concede à capital brasileira o título de uma das cidades brasileiras com maior área verde por habitante.

A educação ambiental é atividade fim em várias categorias de Unidades de Conservação (UC). Dentro desse contexto, o Caminhos do Planalto Central representa instrumento valioso e diferenciado de educação ambiental, que leva a mudanças positivas de valores, princípios e atitudes.

São centenas de quilômetros que ligam regiões de ecoturismo com a de Patrimônio Cultural da Humanidade. Os percursos interligam paisagens, unidades de conservação e diversos atrativos ambientais, culturais e da história da Planalto Central.

Estruturação da Trilha

A opção por três arcos levou em conta a diversidade e riqueza do território do DF, apesar da sua pequena extensão. Com essas três opções o trilheiro pode escolher entre três percursos bastante distintos no formato e tipo de experiência conforme descrito abaixo. 1) Arco Brasília - 85km De viés cívico, histórico e cultural na medida em que tem como principal elemento cênico e atrativo, o Eixo Monumental de Brasília com todos os seus múltiplos elementos, talvez os mais importantes na caracterização da cidade em sua importância cívica, arquitetura modernista. Proporciona especialmente o contato com o centro da cidade, seu traçado urbano singular, monumentos, obras de arte, palácios e mirantes de Brasília - Patrimônio Cultural da Humanidade. 2) Arco Cafuringa - 131km De valor ambiental e foco na cultura rural, religiosa e histórica. Percurso para contato com atrativos naturais e os atributos do Cerrado ainda preservado, topografia variada e conectando várias UC’s. 3) Trilha União 80km De valor paisagístico, cultural, místico e gastronômico, tendo, ao longo do caminho, diversos espaços para vivência espiritual, boa alimentação e contatos com manifestações culturais. Passa pela Torre Digital, símbolo dos Caminhos do Planalto Central.

Como Chegar

Para Brazlândia, ponto de início do sentido oeste/leste da trilha, é possível utilizar transporte coletivo público e chegar ao pontos de início por via rodoviária, a partir da Rodoviária do Plano Piloto, no centro de Brasília.

Se a opção for fazer a trilha no sentido leste/oeste, ou seja, iniciando em Formosa-GO, é necessário utilizar o transporte rodoviário que sai da Rodoviária Interestadual de Brasília.

Histórico

A construção do “Caminhos do Planalto Central” contou com a participação de grupos de caminhadas, de ciclistas e de cavalgadas. Todo o trabalho foi realizado em parceria com órgaos do Governo do DF e com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) para conseguir alcançar o objetivo de integrar as ideias de preservação, turismo sustentável e geração de emprego e renda na capital do país.

Curiosidades

Os Caminhos do Planalto Central receberam essa denominação considerando a forma que se consolidou, quando se faz referência ao território indicado desde o Século XIX como destinado a receber a futura capital. O Artigo 3º da Constituição Federal de 1891 determinou que: "Fica pertencente à União, no Planalto Central da República, uma zona de 14.400 Km2 , que será oportunamente demarcada, para nela estabelecer-se a futura Capital Federal". Em 1892 foi criada a Comissão Exploradora do Planalto Central do Brasil, chefiada por Luiz Cruls, belga radicado no Brasil. Dessa forma pretende-se homenagear tanto os ocupantes originários e os residentes da região, como a cidade de Brasília e seu significado. O Relatório Cruls (1894) assim define a nossa Região: “... deste planalto, porém, a única parte à qual cabe a denominação de central é aquela que se acha nas proximidades dos Pirineus, no Estado de Goiás, não somente por ser, na realidade, a mais próxima do centro do Brasil, como também, por se acharem aí as cabeceiras de alguns dos mais caudalosos rios do sistema hidrográfico brasileiro, isto é, o Tocantins, o São Francisco e o Paraná”.

Significado e Histórico da Pegada

A Torre Digital, no centro da pegada, é um dos monumentos símbolo de Brasília, tem o formato estilizado de Flor do Cerrado e pode ser avistada de várias posições ao longo dos caminhos, representando, de forma simbólica, referência para orientação no percurso.

Unidades de Conservação

  • APA Cafuringa,
  • APA Descoberto,
  • APA Lago Paranoá,
  • APA Planalto Central,
  • Estação Ecológica de Águas Emendadas - ESECAE,
  • Floresta Nacional de Brasília e
  • Parque Nacional de Brasília - PNB.

Municípios

  • Distrito Federal - DF: Brazlândia, Taguatinga, Ceilândia, Sobradinho, Brasília e Planaltina.
  • Goiás - GO: Formosa.
0KM
TRILHAS
0
UNIDADES DE CONSERVAÇÃO
0
MUNICÍPIOS
0UF
UNIDADES FEDERATIVAS

Copyright © 2020
Associação Rede Brasileira de Trilhas de Longo Curso (Rede Trilhas)

Hospedagem: apoio Onlink